Receitas Poéticas

Receita Poética: Jiló Quebrado na Moranga

Pique-se os jilós em metades, frite-os e reserve-se. Tome-se uma moranga (ou outras raças de aboboras adocicadas) e ponha-se, depois de cortada, sobre uma fritada de alho e cebola na manteiga. Acrescente-se água aos poucos e uma sombra de açúcar. 

Estando cozida deite-se-lhe os jilós para quebrar seu sabor amargo. Acompanha-se bem de arroz, feijão, farinha que seja da boa, carne-de-sol ou lingüiça de porco. E que lhe não faltem pimenta e cachaça para abençoar. 

Postado em 14/03/2012 às 14:50

Receita Poética: a Banana

AMARRADO DE BANANA-DA-TERRA

 

Robson Barros

 

Corte-se em pedaços as bananas que estejam pintadas de maduras. Faça-se um molho refogado com cebola, pimentão e tomate picados, alho, sal e pimenta à gosto. Passe-as neste molho e em seguida embrulhe-as em pedaços cortados de folhas de bananeira. Amarre-se com uma tira da folha ou barbante e ponha-se a assar por alguns minutos. Ao servi-las, desatadas sobre a folha aberta, deite-se-lhe o molho por cima. Acompanham corajosamente qual quer tipo de carne.
 

Postado em 26/04/2011 às 03:16

Receita Poética: o Angu

Alagado de Galinha Caipira em Angu de Milho Verde

 

Marcus Nati
 

 

Parta em pedaços uma galinha que cisca em terreiro. Temperos a gosto, que não lhe falte coentro e louro, deixe descansar. De algumas espigas de milho sejam postos os grãos no caldo. Outras sejam raladas, coadas e delas se faça um angu em ponto cremoso. Quando este se soltar do fundo da panela, seja despejado sobre o frango. Lança-se-lhe cheiros verdes picados. Que seja servido com couve assustada em óleo bem quente, onde se fritou o alho.

Postado em 19/01/2010 às 16:09

Receita Poética:o Peixe

          A brasilidade tomou conta do modo de preparo. A lista de ingredientes está na boca do povo, e no dom de cada cozinheiro, a arte do fazer. Essa é uma receita para os mais aventurados, de índole livre e saborosa. Essa é uma Receita de Raíz:  
 

 Navegado de Peixe Barreado


Faça-se em postas um peixe, se criado no rio São Francisco em águas sertanejas, melhor. 


Tempere-se com sal, limão, alho, coentro, cebola e pimenta do cheiro.


Deixe-se curtir pelo menos por um quarto de hora.


Aqueça-se o óleo colorido de urucum e sobre ele, sejam lançadas as postas do peixe.


Abafe-o e deixe-o cozinhar a seu tempo.


Enfeite-se com cheiros verdes e por cima, inscreva-se um fio de azeite de dendê.


Presta-se bem ao lado de arroz, pirão de bela farinha e abóbora de moranga.


Uma talagada de cachaça nortista completa a navegação.
 

Postado em 23/08/2009 às 10:23

News Gastrô

Navegue pelo nosso arquivo de edições

Preencha para se cadastrar:

  • Sou profissional da imprensa