Ragú de Linguiça Toscana

 

Ingredientes

500g de linguiça Toscana
680g de passata de tomates
300ml de vinho branco
2 cebolas picadinhas
3 dentes de alho amassados
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de café de açúcar
Ervas de provence a gosto
Azeite de oliva extra-virgem
Sal
 

Modo de Preparo

Abra as linguiças cortando de comprido e retirando toda a carne. Pique com a ponta da faca e reserve. Aqueça uma panela alta de fundo grosso, coloque um pouco de azeite e frite a carne da linguiça até que fique bem dourada. Retire e reserve.
 

Nessa mesma panela derreta a manteiga e refogue a cebola e o alho. Coloque o vinho branco e deixe evaporar o álcool. Acrescente a passata de tomates e deixe cozinhar com a tampa fechada, em fogo brando, por cerca de 15 minutos. Coloque o açúcar, acerte o sal e despeje a carne da lingüiça. Deixe cozinhar por mais 20 minutos com a tampa fechada.
 

Verifique o sal e a acidez, caso precise coloque um pouco mais de açúcar. Despeje as ervas e deixe cozinhar por mais 10 minutos com a tampa aberta, até reduzir um pouco o molho. Desligue o fogo e despeje duas colheres de sopa do melhor azeite extra-virgem que tiver. Deixe descansar por uns 15 minutos e sirva com a massa que preferir.

Postado em 27/05/2010 às 12:16

Degustação TOP Douro e Portos


O Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto realizou em Brasília Degustação Top com alguns de seus mais importantes rótulos. Muitos deles ainda sem importador no Brasil e em sua maioria da safra de 2007, uma das melhores dos últimos tempos especialmente para os Portos.
 

A paisagem da região do Douro, a D.O.C. mais antiga do mundo e com quase 50 castas auóctones

 

Ao todo foram provados 22 tintos, 1 espumante, 1 branco e 9 Portos, uma maratona conduzida pelo presidente da ABS-Brasília, Antônio Duarte, e apresentada por Carlos Soares, responsável pelo IVDP no Brasil.
 

A entrada do menu da noite: mini quiche de queijo e brocólis com salada verde

 

A Degustação aconteceu no restaurante Alice Brasserie e contou com a participação de jornalistas, chefs e formadores de opinião na capital, além do próprio Embaixador de Portugal no Brasil. A chef Alice Mesquita, também esteve por lá apresentando seu menu para o jantar que foi finalizado com as provas dos Portos.
 

O Coq Au Vin da noite, um clássico francês impecável da chef Alice Mesquita

 

Na primeira leva de degustações, já os dois primeiros vinhos se destacaram. O Vértice Gouveio 2004 é um espumante feito com 100% Alvarinho, de personalidade e complexidade interessantes, importado pela Adega Alentejana e custando R$110 a garrafa. O outro destaque foi o Redoma Reserva Branco 2008, feito com uvas autóctones da região e de um aroma cítrico muito convidativo, além de especialmente delicado e equilibrado em boca, importado pela Mistral mas com valor ainda em dólar, cerca de U$ 100.

O segundo principal: Cubos de Mignon em creme de páprica húngara defumada, um segredo levemente picante da Chef

 

Dentre os tintos quem chamou a atenção foi o VT 2007. Elaborado pela PV S.A. é um vinho muito aromático e cheio de fruta, tanto em nariz quanto em boca, fácil de beber e com um final curto mas muito gostoso. Sua produção é feita em lagares com a tradicional pisa a pé das uvas recém colhidas e selecionadas.

Para finalizar, quindim em calda de frutas vermelhas e mini brownie de chocolate

 

Os Portos também marcaram presença com algumas verdadeiras jóias portuguesas. Destaque para o Messias 10 Anos (citado na matéria do dia 24-05) e especialmente os dois últimos vinhos. O Casa Santa Eufêmia 30 Anos, importado pela World Wine, custando cerca de R$660 e o Porto-Krohn 1968 Colheita, também trazido pela World Wine e chegando à incrível bagatela de R$810 a garrafa.

 

Postado em 26/05/2010 às 11:18

Grande Prova de Vinhos do Douro e do Porto


Um cantinho do Douro se abriu hoje em Brasília para a degustação de mais de 100 rótulos de vinhos portugueses em evento promovido pelo IVDP (Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto). As mesas de degustação contaram com a presença de quase 20 importadoras brasileiras que mostraram o que têm de melhor vindos da terra lusitana.
 


O evento aconteceu no intuito de promover os vinhos da região do Douro que têm no Brasil seu terceiro maior mercado consumidor. De acordo com o IVDP, em 2009 o valor das importações da região do Douro no Brasil chegou aos 7 milhões de euros, ultrapassando o 1 milhão de garrafas importadas.

A típica paisagem da região do Douro, com seus vinhedos plantados nas encostas do rio Douro

 

A região do Douro produz vinhos tintos e brancos, alguns excepcionais como o Barca Velha, mas são os fortificados do Porto que deram grande fama à região. Esse vinho é uma das glórias da vinicultura portuguesa, ele teve sua região demarcada em 1756 e até hoje é um dos produtos mais difundidos do país pelo mundo.


Não foi diferente durante o evento, as principais estrelas do dia foram os Porto. A Domaine Montes Claros, por exemplo, apresentou sua linha da vinícola Rozès. Destaque para o Infanta Isabel 10 Anos de incrível delicadeza em cor e aroma, além de sabor maduro e final suave. Outro que chamou a atenção foi o Rozès Decanter Special Reserve. Com formato de decanter, a garrafa chama a atenção e seu conteúdo agrada pela intensa coloração tinta e seu forte aroma frutado, além de paladar redondo.
 


Já a Inovini apresentou seus clássicos da vinícola Ferreira, com destaque para o Ferreira Porto Dona Antonia Reserva, um vinho vigoroso de aroma intenso e rico que pede mais uma taça. Outras grandes surpresas foram dois rótulos apresentados pela Porto a Porto. Primeiro o Porto Messias 10 anos, com uma coloração castanha deliciosa, aroma intenso e em boca uma explosão de frutos secos inesquecíveis. E depois o Porto Messias Rosé, que também agradou pelo paladar, mas especialmente pelo visual rosado charmoso e convidativo.


Durante a Grande Prova do IVDP em Brasília, os tintos e brancos tiveram seu lugar às taças, mas em sua maioria mantiveram um nível monótono de sabores e características. Um dos destaques foi o Côtto Grande Escolha 2001, trazido pela Mistral. Mesmo com sua idade, ainda mostrava jovialidade e potencial para envelhecer mais uns 20 anos. Um vinho intenso e complexo, que passou 14 meses em barricas de carvalho de primeiro uso.


Amanhã acontece degustação comentada em Brasília com alguns dos tops do Douro, veja cobertura completa aqui em O VERSO DA RECEITA.com.

 

Postado em 24/05/2010 às 20:41

Doce Dia das Mães

Tadeu Brunelli
Mil Folhas de frutas vermelhas do Kaa (SP), para o seu menu no dia das mães


Neste dia das mães sem dúvida o presente mais requisitado nas mesas dos restaurantes será a sobremesa. As delicadezas adocicadas de cada menu prometem fechar o tradicional almoço com um golpe final de prazer nesta data comemorativa. Para muitas, o tema é motivo de alegria e na hora de provar cada doce a satisfação e o sorriso de deleite será o presente maior dos filhos para suas mães. Veja abaixo algumas das opções para este domingo.
 

Luiz Eduardo Vaz
Baiana Fresca - cocada mole com sorvete de tapioca e calda de mel de engenho, do chef Wanderson Medeiros para presentear as mães que forem ao seu Picuí (AL) neste domingo

 

divulgação
O mix de sobremesas do chef Dudu Camargo para o seu Danói (DF) durante o almoço do dia das mães

 

Tadeu Brunelli
 O Mini Far Breton, sobremesa do Le Petit Trou para este dia das mães

 

Tadeu Brunelli
“Fleur aux Fruits Rouges”, uma torta de morango, framboesa e mirtilo em formato de flor da Pâtisserie Mara Mello (SP) para o dia das mães

 

Postado em 06/05/2010 às 01:33

2º Festival de Música Brasileira do Picuí (AL)

Luiz Eduardo Vaz


A música brasileira vai fazer parte do cardápio do restaurante Picuí (AL) neste mês de Maio. Em todas as quintas-feiras do mês (06, 13, 20 e 27) uma série de shows irá compor a programação de atividades do 2º Festival de Música Brasileira do Picuí. O evento irá reunir quatro grandes músicos que atuam em Alagoas e que irão privilegiar o seu repertório mais brasileiro.
 

Wanderson Medeiros

 

Para acompanhar os shows, o chef Wanderson Medeiros criou o Cardápio Musicado, com petiscos ideais para acompanhar a cerveja estupidamente gelada da casa, as caipiroskas de frutas e o cardápio de cachaças do Picuí, com mais de 40 rótulos. “Mais uma vez vamos transformar o Picuí em um palco gastronômico. Esse projeto reforça nosso compromisso em cada vez mais apoiar e desenvolver a cultura em Alagoas.” explica Wanderson.
 

Wanderson Medeiros


CARDÁPIO MUSICADO


Italianado 

Antepasto de berinjelas com carne de sol e pimentões maduros servido com torradas
crocantes aromatizadas com manteiga de garrafa
 

Coalho em chamas
Queijo coalho dourado, coberto com tomate seco e manjericão e flambado à mesa
com licor de laranja
 

Segredo de Inácia (foto)
Mini pastel caseiro de carne de sol ou queijo coalho + molho barbecue
 

Melhor Pão de Alho do Mundo 
Deliciosa mini baguete assada na brasa com pasta de alho suave feita no Picuí

Irresistível 
Medalhão de frango com bacon
 

Chapa sertaneja (foto)
Carne de sol de contra filé cortada em cubos acebolada, puxada na manteiga de garrafa e servida na chapa com macaxeira frita


Escondidinho do Picuí 

Delicioso purê de macaxeira recheado com carne de sol puxada na manteiga de garrafa e coberto com queijo manteiga, catupiry e coalho gratinado.


Flor de mandacaru 

Disco de abacaxi dourado no açúcar, coberto com carne de sol desfiada e puxada
na manteiga de garrafa servido com molho de iogurte e ervas frescas


Queijo coalho assado na brasa (150g) 


Caldinho de feijão com torresmo crocante 


Calabresa do Picuí (foto)

Linguiça calabresa de porco ou frango servida com farofa e vinagrete 


Os shows acontecem à partir das 20h, no segundo andar do restaurante Picuí, no Espaço WGourmet, com salão climatizado para mais de 100 pessoas, lavabos exclusivos, iluminação especial, palco e muito som. Para o primeiro dia, Allan Bastos e Luiz Pompe apresentam seu show Chico & Caetano, onde algumas das principais obras destes ícones nacionais serão executadas.
 

Luiz Eduardo Vaz
Parte do salão do Espaço WGourmet, que irá ser palco dos shows do festival 


No dia 13 de maio, um encontro inédito que promete encantar a platéia, as vozes e violões de Allan e Luiz estarão juntas dos incríveis acordes e a sonoridade de Bruno Palagani e Willbert Fialho. Esta dupla, especialista em sambas e choros, irá se apresentar sola no dia 20, dedicando seu show a obras memoráveis destes ritmos brasileiros no cavaquinho e violão. Para fechar o Festival, na última quinta-feira do mês acontece mais um show com os quatro músicos, que promete ser um repeteco do primeiro encontro.Confira a programação:

07/04 – Allan Bastos & Luiz Pompe

14/04 –Allan Bastos & Luiz Pompe encontram Bruno Palagani & Wilbert Fialho

21/04 – Bruno Palagani & Wilbert Fialho

28/04 – Bruno Palagani & Wilbert Fialho encontram Allan Bastos & Luiz Pompe

 

2º Festival de Música Brasileira do Picuí


Data: 06, 13, 20 e 27 de maio


Horário: 20h


Local: Espaço WGourmet – segundo andar do
restaurante Picuí, Av. da Paz, 1140, Jaraguá, Maceió (AL)


Tel: (82) 3223 – 8080


www.picui.com.br

Postado em 04/05/2010 às 21:11

ExpoVinis 2010 - Estreantes e Instigantes


A produção dos vinhos de altitude já é conhecida e difundida no Brasil. Mas na Bolívia, há mais de 50 anos, se tem produzido rótulos em altitudes que chegam aos 3200 metros, os vinhedos mais altos do mundo. Ainda sem importador no Brasil, estes exemplares de nossos hermanos latinos chegam pela primeira vez à ExpoVinis e prometem ganhar mercado.

Seus vinhos têm um grande potencial aromático que realmente aguça o paladar antes de beber. Da vinícola Kholberg, que fica na região de Tarija, seu branco feito 100% de Moscatel de Alejandria é delicado com um delicioso equilíbrio entre o açúcar e a acidez, além de muito cheiroso.
 


Pela grande altitude, esses rótulos não precisam envelhecer tanto para atingirem seu ápice. Eles podem chegar ao mercado ainda jovens e com um breve período de maturação se comparado a outros exemplares de mesma casta. A uva que melhor se adaptou na região foi a Syrah, que tem produzido bons rótulos, como o Casa Grande Reserva Trivarietal, feito com Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah.

A estréia promissora dos bolivianos, que conseguiram fechar alguns negócios na feira, só não foi mais bem sucedida por um incidente em seu estande onde, de acordo com Erich Kholberg, entre o dia 28 e 29, foram roubadas algumas das melhores garrafas trazidas da Bolívia, além de material impresso para divulgação.


Depois da falha brasileira com os bolivianos, quem também tropeçou logo na primeira hora do terceiro dia do ExpoVinis foram os estreantes gregos. Na Dionyssos já quase não haviam mais vinhos para serem degustados e o que se pôde conhecer foi através de garrafas e panfletos. Seguramente a produção milenar grega ainda tem muito o que aportar aos consumidores brasileiros que poderão conhecer mais de 300 castas locais e 1000 vinícolas.

A Dionyssos é a sexta maior do país e produz vinhos bem característicos. O Oenomelo é um deles, feito de Muscadet, Moschofilero e Rhoditis é um branco doce que diz a história ser o vinho que os Deuses bebiam no Olimpo.


A outra representante grega, a LPH Brasil, também não ficou atrás nas falhas, servindo seus vinhos em pequenas tacinhas de licor onde era impossível saber o que se estava bebendo. Apesar disso o vasto catálogo da empresa promete trazer ao Brasil vinhos premiados da vinícola Tsántali, como o Mavrodáphne of Patras, um tinto doce licoroso feito 100% com a uva Mavrodáphne.
 


Quem surpreendeu e agradou foram os equipamentos da italiana Enomatic. Seus climatizadores e conservadores de vinho utilizam alta tecnologia que permite estender a durabilidade de uma garrafa aberta por até 35 dias. Utilizando gás argônio, as máquinas preservam o vinho e também funcionam como um drink machine self service que pode ser manuseado tanto pelo cliente como pelo funcionário do estabelecimento. Com um sistema de cartões recarregáveis, basta inserir na máquina, escolher o vinho, a dosagem desejada e colocar a taça para ser servida.


As máquinas variam de R$ 14 mil, a menor que comporta 4 garrafas sem o sistema de cartão, até a de R$ 44 mil, uma das mais completas comportando 8 garrafas e com climatização dupla. Esta novidade ainda está chegando no Brasil, com os pedidos demorando cerca de 60 dias para a entrega, mas promete ser um sucesso especialmente em winebars, enotecas e restaurantes.

 

Postado em 30/04/2010 às 01:32

ExpoVinis 2010 - A Força Brasileira


Seguindo o projeto de expansão de 2009 as vinícolas brasileiras mantém seu destaque na feira este ano. No total 44 produtoras nacionais participam do evento e mostram ao público o que de melhor se tem produzido hoje no Brasil.
 


 

As grandes empresas como Miolo, Salton, Casa Valduga e Lídio Carraro continuam a investir seus esforços no desenvolvimento da produção nacional, ampliando suas áreas de atuação e produção. São delas que saem alguns dos melhores rótulos brasileiros e a maioria dos que são exportados, representando o vinho brasileiro no exterior.


 

A Família Carraro, por exemplo, tem investido fora do Serra Gaúcha para poder diversificar a produção. Seu Dádivas Chardonnay 09 foi elaborado em Encruzilhada do Sul e se mostrou um branco nacional de muita personalidade, com a fruta acentuada e um final bem persistente.



A ampliação das zonas produtoras brasileiras parece ser o caminho para a consolidação do produto nacional no mercado. A Campanha Gaúcha é a bola da vez no Rio Grande do Sul especialmente por suas condições climáticas para a produção de tintos, com chuvas menos intensas na época da colheita, excelente amplitude térmica e áreas mais planas, que facilitam a mecanização da produção e consequentemente reduzem os custos.



Para fortalecer ainda mais a vitivinicultura da região, 15 produtores locais se uniram e lançaram durante a Expovinis 2010 uma associação sob o titulo de Vinhos da Campanha. Com o apoio da Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho), Sebrae, Embrapa e outras parcerias, a associação promete ser uma via de desenvolvimento e acesso a estes vinhos brasileiros, ainda elaborados em sua maioria por pequenas vinícolas. Como a Guatambu, por exemplo, que mostrou seu Rastros dos Pampas Cabernet Sauvignon 09 e surpreendeu, apesar de jovem e apenas 2 meses em barrica, o vinho está bem redondo e atraente.
 


Outro bom exemplo é a vinícola Antônio Dias situada em uma nova região produtora brasileira chamada de Alto Uruguai, no RS. Seu Tannat foi uma surpresa com um delicioso equilíbrio da fruta , corpo leve e fácil de beber.


Já dos altos picos da Serra Catarinense vem os vinhos de altitude brasileiros. Unidos pela Acavitis (Associação Catarinense dos Produtores de Vinhos Finos de Altitude) estes produtores fazem questão de mostrar ao Brasil e ao mundo o nosso terroir de 1300 metros acima do nível do mar e as características que ele imprime aos vinhos produzidos na região. Uma das características mais marcantes sem dúvida é o aroma acentuado e a forte presença da expressão da fruta.


Da Vinícola Pericó, seu espumante brut rosé feito com 60% Cabernet Sauvignon e 40% de Merlot é realmente instigante por seu aroma de goiaba verde e em boca uma explosão de pimenta em conserva/pimentão bem típico da Cabernet.


Outro grande produto nacional são os espumantes Moscatel. Delicados e mais adocicados eles atendem ao público consumidor ainda mais interessado em vinhos fáceis de beber e com toques mais femininos. A vinícola Garibaldi produz um dos mais premiados do país com um delicioso equilíbrio entre o açúcar e a acidez do vinho.
 


Continue acompanhando a cobertura completa do ExpoVinis 2010 pelo blog. O Evento acontece até o dia 29 de Abril no ExpoCenter Norte, em São Paulo.

Postado em 29/04/2010 às 02:42

ExpoVinis 2010 - Descobertas do Velho Mundo


A feira este ano continua se mantendo como o mais importante encontro do setor na América Latina. Mais de 100 expositores mostram seus produtos vindos das mais diferentes regiões vitivinícolas do planeta. São importadoras, produtores e empresas que apresentam ao público algumas de suas novidades e de seus rótulos já consagrados.
 


Nos grandes estandes das importadoras o movimento é intenso durante todo o dia. A diversidade de produtos oferecidos por elas é um atrativo especialmente para os interessados em elaborar uma seleção de vinhos para seu negócio enogastronômico.



Obviamente as pequenas importadoras também marcam sua presença na feira. Os estandes nem tão grandiosos, mas de muito estilo, revelam o grande trunfo dessas empresas, e que no universo do vinho faz muita diferença: quantidade X qualidade. Rótulos de pequenas produções, e que obviamente não podem ser amplamente distribuídos, chegam através dessas importadoras e são verdadeiras jóias garimpadas no exterior.



 

Mas um dos grandes atrativos da ExpoVinis é o contato direto com diversas vinícolas que ainda não tem importador no Brasil. São enólogos, empresários e produtores vindos especialmente do Velho Mundo em busca de uma vitrine para seus vinhos e quem sabe bons negócios. Nos estandes os vinhos são degustados em meio a muita conversa e troca de informações onde é possível conhecer um pouco mais sobre o produto, a região e seu terroir, suas características e particularidades das propriedades.



 

Da região de Castila-La Mancha (Espanha) os vinhos da Pinuaga (sem importador) surpreenderam. Seu Merlot cortado de Tempranillo da safra 2009 foi recém engarrafado e já está no mercado. De tão jovem ainda é possível sentir picadas carbônicas na língua advindas dos processos de vinificação. Mesmo assim, o vinho é muito aromático com uma incrível fruta em boca e fácil de beber, especialmente mais fresco.



 

Da mesma Pinuaga, seu Tempranillo 05 se mostrou um vinho bem estruturado mas sem tanta forca típica desta casta. Fácil de beber é uma ótima opção para harmonizar ou para beber solo.



 

Ainda da Espanha, mas agora da região de Extremadura, chegam os vinhos da Bodegas Habla (importados pela Topdeli). Seu Habla Nº4 é um 100% Syrah que impressiona já pela diferente estética da garrafa. O vinho é um show de aromas e sabores bem típicos da casta, valorizando sua fruta e delicadeza de corpo.



 

Da Toscana (Itália) o Taneto, da Badia di Morrona (sem importador), foi um delicioso exemplar com a cara dos vinhos italianos. Seu corpo bem estruturado e taninos acentuados pedem uma harmonização para este rótulo que é um blend de Sangiovese, Merlot e Syrah que passa 12 meses em carvalho antes de ser engarrafado.

Continue acompanhando a cobertura completa do ExpoVinis 2010 pelo blog. O evento acontece até o dia 29 deste mês no ExpoCenter Norte em São Paulo.

Postado em 28/04/2010 às 11:18

Expovinis Top Ten 2010


Um dos momentos mais esperados da Expovinis é a divulgação da lista do Top Tem com os melhores vinhos da feira. O júri formado por jornalistas e especialistas da área degustou às cegas dezenas de amostras de tintos, brancos, espumantes e fortificados. Veja abaixo a lista dos vencedores deste ano.
 

Espumante Nacional

Grand Legado Brut Champenoise
Produtor: Wine Park
 


Espumante Importado

Ferrari Perle´02
Produtor: Ferrari (Itália)
 

Branco Chardonnay

Villagio Grando 08
Produtor: Villagio Grando (Brasil)
 

Branco Sauvignon Blanc

Yealands Estate 09
Produtor: Yealands Estate (Nova Zelândia)


Branco Outras Castas

Mesh Riesling 07
Produtor: Grosset Hill Smith (Austrália)


Rosado

Chateau de Porcieux 09
Produtor: Chateau de Porcieux (França)


Tinto Nacional

Sesmarias 08
Produtor: Miolo Wine Group


Tinto Novo Mundo

Morandé Grand Reserva Syrah 05
Produtor: Viña Morandé (Chile)


Tinto Velho Mundo

Herdade do Esporão Touriga Nacional 07
Produtor: Herdade do Espourão (Portugal)


Fortificado

Madeira Justino´s Colheita 1995
Produtor: Justino Henriques (Portugal)

 

Postado em 28/04/2010 às 10:00

Millesime São Paulo

divulgação
Bombom de foie gras com goiabada e vinho do Porto, da chef Helena Rizzo

 

Após três bem sucedidas edições em Madrid e Cap Cana (República Dominicana), chega ao Brasil o mais importante evento gastronômico do ano, o Millesime São Paulo. O evento é produzido há quatro anos pelo Club Millesime, organização espanhola responsável pela produção de eventos, feiras e degustações de alta gastronomia, que anunciou a realização do Millesime São Paulo, a primeira edição do famoso evento gastronômico no Brasil e na América do Sul.
 

divulgação
Patatas Bravas, do chef Sergi Arola

 
Em um encontro que contou com show cooking dos principais chefs da gastronomia brasileira e espanhola, como Alex Atala, embaixador do Millesime São Paulo, Helena Rizzo, Jose Barattino, Daniel Redondo, Paco Roncero, Sergi Arola e Sergio Torres, o presidente do Club Millesime, Manuel Quintanero, explicou os objetivos do projeto.

divulgação
O lançamento do evento em São Paulo, com a presença dos chefs

 
Segundo Quintanero, a chegada do evento a São Paulo mostra a importância da cidade no atual roteiro sócio-economico-cultural e gastronômico, não apenas da região, mas do mundo. “A cidade de São Paulo reúne ótimas características para este tipo de evento: alto nível sócio-econômico, desenvolvimento empresarial e evolução gastronômica, com uma ampla oferta de restaurantes e relevantes figuras do setor”.
 

divulgação
 
 Priprioca, Ravióli de limão e banana ouro, do chef Alex Atala


Quintanero acredita que o Millesime é um conceito novo, convertendo um evento puramente gastronômico em um meio atrativo e original para que as empresas possam presentear seus clientes. “Nosso objetivo é oferecer um evento exclusivo que sirva como ação de relacionamento das empresas com os seus clientes.” afirma Manuel.
 

divulgação
Verrine de chocolate Jivara e merengue de graviola, do chef Arnor Porto

 

Para a presidente do Millesime São Paulo, Lucilia Diniz, além do intercâmbio entre as escolas gastronômicas, existe um segundo ponto muito importante a ser destacado no Millesime São Paulo, a oportunidade para relacionamento das empresas. “O Millesime traz em si todo esse atrativo de um grande evento internacional consagrado, que faz com que seus convites sejam não só esperados e desejados, mas, mesmo, disputados”, diz.
 

divulgação
Polenta defumada com verduras orgânicas, do chef José Barattino


O Millesime São Paulo será realizado nos dias 14,15 e 16 de setembro, e constará de duas partes importantes: durante as manhãs, das 11h às 15h, com uma degustação de tapas, show cooking ao vivo e oficinas; e as tardes/jantares, das 19h às 24h, que contarão com entradas e jantares em três salões diferentes.
 

Fonte: Llorente & Cuenca
Postado em 19/04/2010 às 09:17

News Gastrô

Navegue pelo nosso arquivo de edições

Preencha para se cadastrar:

  • Sou profissional da imprensa